Arte, scrap, divagações e outras coisas…

* Historiando…

Já imaginou ter algo em comum com Thomas Jefferson, Mark Twain, Presidente Rutherford B. ou até mesmo a Rainha Vitória?

 Scrapbooking…

 Certamente nossos álbuns de hoje não são exatamente iguais em olhares e sentimentos, mas com certeza poderemos ficar espantados com as semelhanças.

 Por mais que possa parecer não é uma “moda” que surgiu agora nos últimos anos. Os registros que encontramos dão conta que há álbuns de recorte desde o século dezessete. Anos atrás as pessoas já colecionavam seus recortes que possuíam significado e preservavam em álbuns. Mas a data exata que o scrapbooking surgiu não é definida.

Na história de scrapbooking, Thomas Jefferson estava entre o primeiro americano mais famoso a fazer álbuns de recortes. Ele criava uma série de álbuns cheia de recortes de jornal que falavam sobre seu mandato para referência futura.

É claro que os primeiros álbuns para recortes, nos anos de 1800, não continham fotografias, pois as máquinas fotográficas não existiam na época. As pessoas colecionavam citações, poemas, cartões religiosos, recortes de jornal e outros elementos que representassem algum momento especial ou pessoa querida.

history1.jpg

Em 1825, foi impresso o primeiro livro de scrapbooking chamado  ”The Scrapbook”.  Incluiu idéias de como usar retratos e recortes de jornal para preencher um álbum em branco.

Em 1826, John Poole escreveu novo livro chamado “Literary Scrap Book”. Era um livro cheio de poemas e gravuras e aconselhava as pessoas em como colecionar seus recortes e o que fazer com eles.

Neste momento criar livros de recorte era moda entre os americanos de classe-média.

 scrap-album3.jpg

As razões para fazer álbuns de recortes naquela época são as mesmas até hoje.  Versam sobre expressar pensamentos e sentimentos. Preservar memórias, gravar momentos especiais das histórias das famílias. São estimados e mantidos por todos  como um tesouro por muitos anos.

Com o aumento do interesse das pessoas pelo scrapbooking os fabricantes destes materiais correram para atender a demanda. Começaram a produzir uma enorme variedade de produtos que poderiam ser exibidos nos álbuns e outros tantos elementos que podiam embelezá-los, produtos estes que poderiam ser recortados e colados.

Não podemos deixar de citar que a invenção da fotografia mudou completamente o modo como as pessoas faziam seus álbuns de recortes. O ano de 1839 é conhecido como o ano de nascimento da fotografia, porém o processo não era muito comum.

Durante meados de 1857 as companhias começaram a produzir álbuns de couro com páginas pré-impressas e dedicadas a vários temas e estas páginas estavam fortemente embelezadas com imagens de pássaros e flores. Estes primeiros álbuns continham páginas para exibir fotografias e também páginas para fazer pinturas de aquarela e desenhos com lápis.

Com a invenção de George Eastman, em 1888,  da máquina fotográfica  Kodak e filme em rolos ocorreu a revolução da indústria fotográfica inteira! Com a popularização da fotografia os álbuns de recorte também cresceram em registros e conteúdo, estavam cada vez mais voltados ao registro fotográfico. Também nesta época existia uma tendência para enfocar o estudo da genealogia reforçando a necessidade de criação de álbuns de recorte para gravação das histórias pessoais e familiares. 

Porém, a popularidade do scrapbooking caiu no início dos anos 1900 devido à recessão seguinte a primeira Guerra Mundial. A recessão forçou muitas empresas que produziam materiais para scrapbooking fecharem. Mas foi nesta época que Mark Twain inventou um bloco de rascunho autocolante. É especulado o álbum era somente para valor visual, como ele não conteve nenhuma data ou journaling. Ele era um scrapbooker tão ávido que reservou seus domingos para seu passatempo favorito. Ele patenteou a sua invenção e por volta de 1901 podiam ser encontrados 57 tipos diferentes de álbuns Mark Twain, mas muitas pessoas preferiam fazer os seus próprios álbuns.

 history2.jpg

A produção em massa de álbuns de fotografia ficou um pouco adormecida em popularidade até o redor de 1940. Porém sempre continuou existindo através dos anos.

O ano de 1980 foi decisivo na história do scrapbooking moderno.

Foi quando uma senhora, Marielen Christensen compartilhou 50 volumes de álbuns de recortes com a história de sua família. Isto aconteceu em Utah na Conferência Mundial de Registros. As pessoas ficaram fascinadas com o trabalho e o hábito de criação de álbuns de recortes foi retomado.

A partir de 1990, com a explosão de publicações sobre idéias e materiais que o scrapbooking ganhou velocidade e se tornou um dos mais crescentes passatempos da América.Graças a Internet o scrapbooking passa a ganhar popularidade no restante no mundo. O número de sites cresce rapidamente, assim como o de lojas. Tudo isto faz girar e crescer uma indústria cada vez mais promissora.

Hoje encontramos softwares que permitem  a criação de páginas e álbuns em nossos computadores para que sejam publicados na Internet para compartilhar com a família e amigos, fazendo assim uma versão eletrônica de nossos conhecidos blocos de rascunho ou álbuns de recortes.

Se você tem familiares ou amigos que pensam que scrapbooking é somente uma moda passageira, mostre a eles este artigo e sinta orgulho por estar fazendo história e desenvolvendo o mais novo passatempo dos velhos tempos. 

Fontes:

www.everything-about-scrapbooking.com

thesavvyscrapper.com

www.nsa.gs

www.scrap-inn.com

www.crcstudio.arts.ualberta.ca

Comentários em: "* Historiando…" (5)

  1. Liliane, achei por acaso seu blog pesquisando sobre a história do scrabooking e achei seu artigo o máximo, obrigada por compartilhar !
    Uma curiosidade que sempre tive é saber se a passagem do scrapbook artesanal para o digital foi “disparado” por alguem ou site em especial, vc tem alguma informação sobre isso ?
    Gostaria também de pedir permissão para linkar você no meu blog !
    Beijos !!

  2. Adorei este artigo também, Lili, obrigada !
    bjs
    Lilian

  3. Olá Liliane, achei seu blog procurando material sobre marmorizaçao, e terminei descobrindo outras coisas legais.
    Muito contente com isso.
    Trabalho com skecthbook, o livro de rabiscos..lendo aqui..chego a conclusao que é a mesma coisa so com nomenclaturas diferentes.

    O que você acha?

    Abraço, allê

  4. Olá Liliane!
    Sou professora de história da arte e por isso, adorei encontrar um blog com “conteúdo” como o seu. Aprendi muito!!! Parabéns!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: